Feira do Mel 2017 apresenta a diversidade do produto catarinense

Feira do Mel 2017 apresenta a diversidade do produto catarinense

Categoria: Materia, Mel, Todas

O mel catarinense movimenta praticamente todo o Estado em torno da sua produção. Ao todo são 289, dos 295 municípios, envolvidos na atividade. Para apresentar aos consumidores a diversidade de produtos desenvolvidos com os vários tipos de mel existentes, e sabores obtidos de acordo com as floradas das épocas do ano, Florianópolis recebe de hoje, 7, até sábado, 10 de junho, a 18ª Feira do Mel.

A primeira bebida alcoólica produzida pela humanidade, antes mesmo do vinho e da cerveja, o hidromel apresentado pela Campina da Cascavel, a primeira hidromelaria do sul do país, criada em 2016, em Xanxerê, é um dos destaques da feira deste ano. Breno Luis Fiorentin, um dos sócios fundadores, conta que além de ser uma bebida nobre, o hidromel é presença constante na história.

“O Hidromel Velho Oeste — comercializado na feira —, é uma bebida culturalmente européia. Ela provém dos nórdicos, saxões, e estamos trazendo este produto para Santa Catarina com uma receita característica daqui. Apesar da bebida ser simples, ela possui uma qualidade extremamente alta. Usamos méis do oeste catarinense, que foram eleitos por duas vezes os melhores do mundo”, frisa.

Uma outra curiosidade sobre a bebida é a sua apreciação pelos vikings que a consumiam muito, em especial os noivos quando casavam. “Durante um mês, eles ingeriam o líquido a base de mel, período de uma lua, por isso usamos até hoje a expressão ‘lua de mel’”, ensina Fiorentin.

Mas nem só de hidromel vivem os consumidores da feira. O carro-chefe da Minamel, exportadora do alimento presente em Içara, é a cachaça à base de mel e limão. Um dos expositores, Adenilson de Favere, destacou que há uma forte cadeia de produtores presentes em todo o país. “Hoje são 950 apicultores, o que dá algo em torno de 2 milhões de colmeias espalhadas pelo Brasil. Certificamos desde a origem do mel, do ponto de onde é coletado no meio da mata e tudo é georreferenciado, proporcionando o acompanhamento de todo o processo até o consumidor final”.

O preço médio do quilo na feira é de R$ 25 e R$ 13 meio quilo. Há, ainda, outros produtos como própolis, biscoitos, pão de mel, balas, cosméticos. Já os produtos para consumir in natura possuem sabores ressaltados pelas suas floradas, como o silvestre, bracatinga, eucalipto, uva japão.

Segundo levantamento de novembro de 2016, realizado pela Faasc (Federação das Associações de Apicultores e Meliponicultores), o Estado conta com 6.146 apicultores, 294.565 colmeias e uma produção anual de 6.016.381 quilos.

A expectativa da organização é receber 50 mil visitantes e comercializar 40 toneladas de mel, durante os quatro dias de feira. Ela fica aberta das 8h às 18h nos dias úteis e das 8h às 13h no sábado.

Texto: Mariana Eli – Reg. MTB 5752/SC

Fotos: Mariana Eli e Felipe Reis

Compartilhe esta postagem

Deixe uma resposta

× Como posso te ajudar?