Pandemia muda perfil da Osterfest, evento cultural mais importante de Pomerode

Pandemia muda perfil da Osterfest, evento cultural mais importante de Pomerode

Categoria: Pomerode, Materia, Turismo

Pela primeira vez em mais de 10 anos, Pomerode não promoverá a Osterfest (Festa de Páscoa). Devido à pandemia de coronavírus, no lugar do tradicional evento concentrado no Centro Cultural, e suas inúmeras atrações, os visitantes estão sendo convidados a participar de uma exposição contemplativa de 11 ovos coloridos espalhados por vários locais da cidade num raio de quatro quilômetros. Eles serão o carro-chefe da Eier Parade ou Parada dos Ovos, na qual os visitantes desfilam por esses pontos.

– Neste ano, em função da pandemia, a decoração ganhou mais destaque, deixando uma mensagem, a de que apesar das dificuldades a fé está sendo muito importante nas nossas vidas, e que ela, a fé, deve ser preservada. A Páscoa é vida nova. Representa a vitória da vida sobre a morte, significa libertação, e não pode passar em branco – raciocina o prefeito local Ércio Kriek (DEM), anunciando:

Pandemia muda perfil da Osterfest, evento cultural mais importante de Pomerode 1

– Pomerode está aberta dentro das normas sanitárias como o número reduzido de pessoas, distanciamento social, uso de máscara e muito álcool em gel. Quem vier, poderá sair transformado pelo espírito da Páscoa.

Pandemia muda perfil da Osterfest, evento cultural mais importante de Pomerode 2

A adaptação da Esterfest, consagrada como a maior festa de Páscoa da América Latina, numa exposição contemplativa, tirou da Osterbaum o protagonismo de todas as versões anteriores da festividade. Agora, com o Centro Cultural não sendo o palco das comemorações pascoalinas – para evitar aglomerações –, a árvore cujos galhos secos representam Cristo morto, e as casquinhas de ovos de galinha pintados, a vida e a ressurreição de Cristo, deram lugar a dezenas de pequenas Osterbaum em diversos pontos da cidade.

Além das Osterbaum, a AVIP (Associação Visite Pomerode), organizadora do evento, espalhou ovos em miniaturas semelhantes àquele que é considerado o maior do mundo segundo o Guiness, Livro dos Recordes. Integrando o cardápio de possibilidades oferecidas aos visitantes nestes tempos de pandemia, destaca-se a decoração do comércio, com a presença massiva de simpáticos coelhos gigantes nas vitrines, além de atrações gastronômicas e culturais.


Pandemia muda perfil da Osterfest, evento cultural mais importante de Pomerode 3
Pandemia muda perfil da Osterfest, evento cultural mais importante de Pomerode 4

Diretora de Turismo da Secretaria de Turismo e Cultura local, Karol Pinto contabiliza “mais de 40 equipamentos turísticos” no município. Entre eles figura a única Escola de Tornearia em Madeira do Brasil. Seus alunos aprendem a fabricar o famoso boneco “Quebra-Nozes” ou “Nussknacker”, figura tradicional do Natal na Alemanha, além de incensários “Räuchermänner” e outras peças ornamentais feitas em madeira torneada. Assim, Pomerode já é conhecida por como o centro da arte da tornearia em madeira do Brasil.

Outro destaque é o conjunto de casas no estilo enxaimel. Elas compõem o maior acervo do gênero fora da Alemanha. No total, um número superior a 240 construções faz parte da Rota do Enxaimel local.

Pandemia muda perfil da Osterfest, evento cultural mais importante de Pomerode 5
Pandemia muda perfil da Osterfest, evento cultural mais importante de Pomerode 6

Integrando o pacote de atrações, surgem as Maibaum, ou árvores de maio. Elas consistem em um tronco de árvore com pinturas em forma espiral nas cores azul e branco, enfeitado com guirlandas e fitas, e com placas símbolo representando as associações, famílias, profissionais e empresas de uma determinada cidade ou bairro. O número de maibaum tem aumentado consideravelmente em Pomerode

Pandemia muda perfil da Osterfest, evento cultural mais importante de Pomerode 7

ALTO NÌVEL – Com pouco mais de 34 mil habitantes, e autoproclamando-se a cidade mais alemã do Brasil, o município ostenta um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de 0,780 (IBGE, 2010) numa escala que vai de 0 a 1. Os dados dizem respeito a 2019 e foram divulgados no final do ano seguinte pelo Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (PNUD). A média no Brasil é de 0,765. No cálculo do IDH são considerados itens como a expectativa de vida ao nascer, educação e renda per capita.

Texto: Imara Stallbaum

Fotos: Antonio Carlos Mafalda

Compartilhe esta postagem

Deixe uma resposta

× Como posso te ajudar?