Tecnologia da Epagri substitui abelhas rainhas e aquece mercado do mel

Tecnologia da Epagri substitui abelhas rainhas e aquece mercado do mel

Categoria: Materia, Mel

Num momento em que a produção agropecuária tenta se recuperar de três tragédias – uma estiagem, uma pandemia e um ciclone – os produtores de mel têm motivos de sobra para festejar. Graças à substituição das rainhas velhas por abelhas jovens, a produtividade das colmeias chegou a aumentar 30%.
Esse é o resultado de um programa implementado pela Epagri e que desde 2014, com a ajuda dos apicultores, vem selecionando abelhas rainhas jovens, “ideais”, a partir de algumas características que, inclusive, reduzem significativamente a mortalidade das colônias no inverno São elas alta produtividade, resistência a pragas e doenças e comportamento higiênico. A substituição gerou um incremento de aproximadamente 64 toneladas de mel em 12 mil colmeias catarinenses no ano passado. Quando a rainha é jovem e selecionada, a produção pode aumentar em até 200%.
A Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, que oferece subsídio para a aquisição, já forneceu 9,1 mil rainhas nos últimos quatro anos. Os apicultores podem selecionar as próprias rainhas ou comprá-las. A tecnologia é resultado de pesquisas da Epagri, que selecionou as rainhas em parceria com os apicultores e, desde 2014, realiza capacitações na área. A empresa estima que a tecnologia tenha sido aplicada por cerca de 3 mil apicultores em 12 mil colmeias do Estado em 2019, gerando um incremento de 64 toneladas de mel, que equivalem a cerca de R$932 mil.
Santa Catarina posiciona-se entre o terceiro e o quarto lugares no ranking da produção brasileira de mel, destacando-se pela qualidade e produtividade. Aqui são produzidos 68 quilos por quilômetro quadrado ao ano, bem acima da média nacional, que é 5 quilos.
O setor chama a atenção também por sua capilaridade. Só não há apicultores em seis dos 295 municípios catarinenses: Balneário Camboriú, Pinheiro Preto, Bombinhas, Capivari de Baixo, Navegantes e Faxinal dos Guedes. Em cada um dos restantes 289 há pelo menos uma pessoa dedicada ao manejo de abelhas.
A tecnologia e acompanhamento técnico promovido pela Epagri têm sido os grandes responsáveis pelo mel de Santa Catarina já ter sido classificado por seis vezes entre os melhores do mundo.
Texto: Imara Stallbaum
Fotos: Antonio Carlos Mafalda

Compartilhe esta postagem

Deixe uma resposta

× Como posso te ajudar?